LPeU > artigo > Modalidades aléticas

15-05-2013. Gloria Galli (trabalhos acadêmicos, revisões de textos, TCC e normas ABNT)

Enviar via e-mail

Categorias: modalidade alética | modalidades | modalizadores | linguística |

Chat Dúvidas ou Sugestões

Faça chat com nossos colaboradores

A modalidade é considerada como a maneira que o enunciador se expressa em conteúdo da frase, ao grau de verdade existente nela, ou em relação a quem
se destina. Advérbios, certos verbos e também algumas categorias gramaticais podem contribuir para dar uma modalidade ao discurso.
A modalidade alética não envolve o controle humano. Seguem algumas informações sobre a modalidade alética.

Modalidades aléticas (ontológicas, aristotélicas)

Este tipo de modalidade, mais ligado ao interesse dos filósofos, relaciona-se ao valor de verdade de uma frase e liga-se ao conceito de existência, ao conhecimento de mundo ->falso/verdadeiro. Para Aristóteles, uma proposição está sujeita a uma gradação que pode variar do necessário até o impossível. Esse tipo de modalidade classifica-se em quatro eixos:

Necessário

Estado de coisas que necessariamente ocorrem no mundo. Predominam verbos como:
precisar, necessistar, ser etc. Ex:
«As andorinhas são um grupo de aves passeriformes da família Hirundinidae.»

Possível

Estado de coisas que podem levar a uma ocorrência:
«Pode estar chovendo em Curitiba agora.»

Contingente

Estado de coisas que podem ou não ocorrer no mundo:
«Luma é um ser humano.»
«Rio de Janeiro é uma cidade maravilhosa.»

Impossível.

Expressão que marca a impossibilidade de um acontecimento:
«As pessoas não contraem HIV/AIDS por um aperto de mão.»