Língua Portuguesa em Uso > Objeto direto, indireto e sujeito simples

Objeto direto, indireto e sujeito simples


Gloria Galli

Categorias: função sintática | verbos | classificação dos verbos | objeto direto | objeto indireto |

Pergunta:
Como reconheço essas funções?

O sujeito

De modo geral, reconhece-se o sujeito pelo verbo. Se pensarmos que o verbo de uma frase poderia ser comparado ao 'enredo' de um pequeno drama (teoria do linguista francês Lucien Tesnière), o sujeito corresponderia ao ator principal. Uma das teorias mais aceitas para definir o sujeito - o sujeito é o termo da oração que concorda com o verbo, isto é, o agente da ação verbal:

«O rato escondeu-se no buraco.»

No exemplo dado, o sujeito é o agente e, ao mesmo tempo, sofre a ação do processo. O verbo dessa frase, pelo critério semântico, é um verbo de ação-processo, pois, ocorre um 'fazer' e um 'resultado' desse fazer. O sujeito (rato) permanecia num estado (livre) e, depois da ação verbal, mudou de estado (ficou escondido).

Recordando conceitos

Classificando os tipos de verbos

A gramática tradicional classifica os verbos, quanto a predicação, em dois grandes grupos:
- verbos significativos ou nocionais (intransitivos e transitivos: indicam ações, fenômenos, movimentos, situações etc.)
- verbos não significativos (verbos de estado: indicam estado, qualidades, características etc.)

Pelo critério semântico, os verbos são classificados em:
verbos de ação (indicam um 'fazer' por um sujeito agente)
verbos de processo (o processo verbal provoca uma mudança de estado no objeto afetado pela ação verbal)
verbos de ação-processo (ocorre tanto um 'fazer' pelo sujeito agente, quanto um acontecer pela ação do verbo)
verbos de estado (indicam uma qualidade, uma característica etc.)

O objeto direto e objeto indireto

Os verbos transitivos têm a função de unir dois polos da seguinte maneira: transitam a ação exercida pelo sujeito (agente) para um objeto do predicado (afetado ou efetuado). Os verbos transitivos podem ser: diretos e indiretos. São transitivos diretos (VTD) quando a transição entre o sujeito e o objeto se faz sem necessidade de preposição. Se houver necessidade de preposição, o verbo será transitivo indireto (VTI):

«Maria devolveu o livro.» (VTD - sem preposição - 'o livro' – obj.direto)
«As crianças gostam de figurinhas.» (VTI – com preposição – 'de figurinhas' – obj.indireto)

Verbos bitransitivos

Há verbos que pedem dois complementos, ou seja, dois objetos para completar-lhes o sentido – são os verbos transitivos diretos e indiretos ao mesmo tempo (VTDI) e, assim, pedem dois complementos na frase: o objeto direto e o indireto:

«O aluno ofereceu o seu lanche ao colega.»  
«Paguei o boleto ao banco Itaú.»  
«Mauro não pagou a mensalidade à universidade.»
«Lúcia ofereceu um presente a professora.»  
«Ele deu um anel à sua noiva.»

Outros exemplos:
Vendem-se casas. (VTD). Entregou-me os envelopes azuis. (VTDI)
Aluga-se imóvel na praia. (VTD)
A bicicleta atropelou a menina. (VTD)
Confio em Deus. (VTI)
O mundo pertence aos velhacos. (VTI)
Fiz-lhe duas perguntas.» (VTDI)
Testei meu programa novo. (VTD)
Eles foram ao cinema. (VTI)
Dei um bombom ao menino pobre.* (VTDI)

Ver Verbos VTD, VTI e VTDI e também O que significa verbos intransitivos

Comentários

artigos mais revisados

Gedini
2013-08-05
Quiasmo

pesquise na base

Participe no LPeU, faça login para receber nossa newsletter ou enviar dúvidas Login via Facebook