Enviar pergunta Login

Sobre funções dos pronomes

por Gedini em 2013-05-16.

Os pronomes pessoais do caso reto

Exercem na frase a função de sujeito:
«Ele pediu para eu comprar um livro.»
«Eu li.»
«Tu lês.»
«Palavras que eu não mais usava ali estavam e figuram na história.»

nota:
Antes do verbo infinitivo só usamos eu e tu (jamais mim e ti):
«Este livro é para eu ler.»
«Este livro é para tu leres.»

Os pronomes pessoais do caso oblíquo

Exercem na frase a função de complemento. As formas oblíquas mim, ti, e si vêm sempre precedidas de preposição:
«Não apenas escrevi o livro, mas o livro também escreveu por mim.

Quando concorrem numa frase pronomes da 1ª e 2ª pessoas, tem prioridade o da 1ª pessoa - 'mim'. Assim a língua culta prefere 'entre mim e ti a 'entre ti e mim':
«Entre mim e ti há uma distância enorme.»
«Uma discussão aconteceu entre mim e ti

Com a preposição entre (lugar, posição intermediária) rege pronome oblíquo tônico ( = mim, ti, ele, ela, si, nós, vós, eles, elas, si):
«Entre mim e ti há uma grande distância.»
«Entre ela e mim sempre houve entendimento.»
«Entre você e mim quase não há segredos.»
«Entre mim e ele há um oceano de distância.»

Os pronomes oblíquos o, a, os, as são obrigatoriamente objetos diretos:
«Pedro levou-a para dançar.»
«Redigiu-as com carinho, afinal, eram as cartas para a namorada.»

Depois das formas verbais terminadas em 'r', 's' ou 'z', os pronomes o, a, as, os assumem a antiga forma 'lo', 'la', 'los', 'las', suprindo-se o r, s, z:
«Olhei a casa e pensei em reformá-la - transformá-la num estilo mais moderno.»
«Não pensei duas vezes, fi-lo no primeiro impulso.»

Os pronomes lhe, lhes são objetos indiretos:
«Paulo rompeu com o seu chefe: entregou-lhe os papéis e saiu para nunca mais.»
«O diretor enviou-lhes o convite pelo correio.»

O pronome oblíquo se tem a função de pronome reflexivo:
«Quem espera por uma história sombria surpreende-se

Os pronomes de tratamento

Os pronomes pessoais de tratamento, embora na 2ª pessoa, exigem verbos, pronomes oblíquos e possessivos na 3ª pessoa:
«Vossa Excelência sabe que seus eleitores o apoiarão.»

nota 1:
Quando falamos diretamente com a pessoa, usamos o pronome de tratamento na forma Vossa:
«Vossa Santidade está certo.» (falando com o Papa)

nota 2: Quando falamos a respeito da pessoa, usamos o pronome de tratamento na forma Sua:
«Sua Santidade está preocupado.» (falando a respeito do Papa)

Os pronomes possessivos

  • O pronome possessivo indica a pessoa gramatical a que as coisas pertencem. Concordam em gênero e número com a coisa possuída:
    «O meu caderno está na estante.»

  • O pronome possessivo não está com idéia de posse, mas indicando respeito, aproximação e intimidade em relação a alguém:
    «Meu amigo, procure sua mãe.»

  • Pronome possessivo de 3ª pessoa pode gerar ambiguidade, ou seja, uma dúvida quanto as referência do enunciado. Neste caso, pode-se optar pelo uso de 'dele ou dela', como no caso:
    «A filha disse ao pai, que concordava com sua atitude.»
    «A filha disse ao pai, que concordava com a atitude dele.»

Os pronomes demonstrativos

O pronome demonstrativo indica a posição de algum ser em relação às pessoas do discurso, situando-o no tempo ou no espaço:
«Aquela é a minha casa.»

O pronome demonstrativo de 1ª pessoa este, está indicando o que está relativamente próximo à pessoa que fala (tempo presente); caso fosse o pronome demonstrativo na 2ª pessoa esse, o pronome indicaria tempo passado relativamente próximo ao momento em que se fala:

«Este é o meu apartamento.»  
«Esse apartamento ao qual você está se referindo é menor do que       este?»

O demonstrativo de 3ª pessoa aquilo indica o que está distante dos interlocutores:

«À medida que envelhecemos, vamos acumulando aquilo que chamo de     segmentos lingüísticos.»

Indica também tempo passado:

«Tudo aquilo foi região cafeeira até meio século atrás.»

O, a, os, as podem funcionar como pronomes demonstrativos quando forem equivalentes a aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo, isso:

 «Nem tudo o que reluz é ouro.» (o = aquilo)  
 «O que tem muitos vícios, tem muitos mestres.» (O= Aquele)

Tal é pronome demonstrativo, quando tomado na acepção de este, isto, esse, isso, aquele, aquilo:

«Tal era naquela época a situação dos pais.»  
«Não disse tal, não creio em tal, não falo mais sobre tal.

nota:
Dependendo do contexto, também podem desempenhar o papel de pronome demonstrativo: mesmo, próprio, semelhante, tal e o, as, os, as (quando equivalendo a aquele(s), aquela(s), aquilo).

Os pronomes relativos

Os pronomes relativos retomam um termo expresso anteriormente, por isso mesmo chamado antecedente.

O pronome onde é invariável, não flexionando em gênero e número:

«Outros quatro estão lotados no município de Ilhota, onde pelo menos 15 pessoas morreram.»

Mesmo e próprio variam em gênero e número quando tem caráter reforçativo:

«Ela mesma faz isso, elas mesmas fazem isso, eles próprios cozinham, elas próprias cozinham.»

O pronome relativo quem:
Relacionando a pessoa citada anteriormente, vem sempre precedido de preposição:

«Surge então João Pedro, a quem Felipe pede conselhos e faz          confidências.»

Usa-se com referência a pessoas:

«O juiz vai decidir quem ficará com os impressos da família.»

Quando o pronome relativo quem vem sem antecedente, ou seja, sem a preposição exigida pelo verbo, ele passa a ser pronome indefinido:
«Foi o próprio Saramago quem escolheu fazer o lançamento de 'A Viagem do Elefante.»
(Editado no Brasil pela Companhia das Letras) em São Paulo.

Como pronome substantivo, o pronome quem refere-se sempre a pessoas ou a algo personificado:
«Quem podia esperar que aqui tivesse só comidas típicas?»

O pronome relativo que pode:

  • Iniciar uma oração subordinada adjetiva restritiva:
    «Os livros que me deram foram usados.»

  • Ser usado com preposições monossilábicas como é o caso 'do' e 'em':
    «... e muitas vezes em condições melhores do que aquela em que a indústria captou no início do processo.»
    (fonte: Disponível em: O Estado de S. Paulo-- 26 de novembro- Agrícola,p.5)

  • O pronome relativo que tanto pode ser empregado com relação a coisas, quanto a pessoa:
    «Essa é a mulher que me amou profundamente.»
    «Aquela foi a região que eu mais conhecia.»

  • O pronome que como pronome substantivo, pode significar que coisa:
    «Que teria feito aquele homem de branco?»

  • Como pronome adjetivo, refere-se a pessoas ou coisas; pode significar que espécie de:
    «Que mulher bem vestida é aquela?»

  • O pronome relativo 'cujo' exprime idéia de posse, sendo o antecedente possuidor, e o conseqüente a coisa possuída. Note que a regência de certos verbos, exige 'cujo' antecedido de preposição:
    «Só o que não vale é o leitor investir seu estoque de crenças nessas conversas, cujo conteúdo é para ser registrado por um ouvido..»
    (fonte: Disponível em: O Estado de S.Paulo- 29 de novembro- A6)

Pronomes indefinidos

Pronomes indefinidos são aqueles que se referem à terceira pessoa do discurso quanto considerada de modo impreciso, vago, genérico. Os pronomes indefinidos podem se referir a:
Pessoa: quem, alguém etc.
Coisa: algo, tudo etc.
Lugares: onde

O pronome toda vem acompanhado do artigo 'a', exceto quando o pronome antecede o artigo:
«Para que as projeções sejam possíveis, a tela é mantida sobre o palco durante toda a primeira cena da ópera.»
(fonte: Disponível em: O Estado de S. Paulo-- 26 de novembro- D5.)

nota:
Pode dar idéia de conjunto ou quantidade indeterminada:
«Todo o edifício será pintado.» (edifício inteiro será pintado)
«Todo edifício será pintado.» (Qualquer edifício será pintado)

O indefinido algum, alguma, usado depois de um substantivo assume valor negativo equivalendo a nenhum:
«Não tenho dinheiro algum.»
«Não vi pessoa alguma.»

Certo é pronome indefinido quando antecede um substantivo, podendo ou não aparecer precedido de artigo indefinido:
«Certo homem cortou a grama.»

Certo é adjetivo quando aparece posposto ao substantivo:
«O homem certo cortou a grama.»

O pronome cada, invariável, assume a posição de adjetivo quando precede o substantivo ou outro pronome:
«Os abacaxis custaram R$2,00 cada um.» ( e não: cada)

Pronomes interrogativos

Os pronomes interrogativos são os pronomes indefinidos usados na formulação de perguntas (seguidos de interrogação). Fica notável a semelhança entre os pronomes interrogativos e os indefinidos. Porém, os pronomes são classificados interrogativos quando aparecem em frases interrogativas. Os principais pronomes interrogativos são:
Invariáveis: quem, que.
Variáveis: qual, quais, quanto, quantos, quanta, quantas.

Como pronome substantivo qual assume valor seletivo e refere-se a pessoas ou coisas: Qual a diferença entre jornalismo e literatura?

nota:
Qual dos, qual das, qual de são expressões de reforço:
«Qual dos livros de literatura você prefere?»

Como pronome substantivo ou pronome adjetivo, o pronome quanto, sempre tem um valor quantitativo indefinido:
«Quantos livros literários você já leu?»

Este conteúdo foi originalmente criado por Gloria Galli, nome de usuário Gedini, em 2013-05-16 e está disponível com a licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Brasil. Outros autores também podem colaborar com este artigo.

Você poderá referenciar este artigo com o uso do link abaixo e incluir nota com o nome do autor:

Salvar e enviar para meu e-mail
Votar (1 estrela)
Votar (2 estrelas)
Votar (3 estrelas)

Enviar Você será enviado para criar um 'login' com seu e-mail.

Categorias

pronomes | classes de palavras |