Login
por Gedini em 2013-05-17.

Compreendendo o adjunto adverbial

Sobre adjuntos adverbiais

O estudo da gramática da língua portuguesa pode ser feito dentro da frase, porém, quando se trata de sentido, a frase não dá conta de fornecer dados suficientes, é preciso ir para o texto, e algumas vezes, até além do texto.

O objetivo deste pequeno artigo é reconhecer o que é um adjunto adverbial, e isso será feito utilizando-se frases.

Adjuntos Adverbiais Um dos modos mais fáceis de conhecer/reconhecer os adjuntos adverbiais é pela teoria de Lucien Tesnière, linguista francês, que considerava a frase como um pequeno drama, cujo 'enredo' estaria representado pelo 'verbo da frase'. Os atores seriam os argumentos do verbo (as predicações do verbo, as chamadas que o verbo faria para completar-lhe o sentido) e, como todo drama, teria acontecimento em algum lugar ou de alguma forma, o que Tesniére chamou de 'circunstantes'. Os circunstantes correspondem ao que chamamos de 'adjuntos adverbiais'. Exemplo:

Apresenta-se o drama:

“Tajapanema chorou no terreiro”.
  • o enredo: chorou (verbo chorar)
  • o ator: Tajapanema (apenas um) (o sujeito)
  • local onde ocorreu o drama: no terreiro (o adjunto adverbial)

Como a Gramática vê esta questão:
“Tajapanema chorou no terreiro”
- sujeito simples: Tajapanema
- predicado verbal: chorou no terreiro (verbo intransitivo)- não precisa de complemento.
- adjunto adverbial: no terreiro. (não precisou completar o sentido do verbo e sim, acrescentou-lhe novas informações.

Bom saber:
A função de adjunto adverbial pode ser representada pelas seguintes categorias gramaticais:

  • por um advérbio: «Joana não está aqui

  • por uma locução adverbial
    «Joana fez a prova na secretaria

  • por uma oração adverbial:
    «Mesmo não querendo, ela fez a prova na secretaria.»

Exemplos de adjuntos adverbiais (grifados):

«Além de bonita, é a primeira aluna da classe.» (acréscimo)
«Talvez ele queira ficar para dormir.» (dúvida)
«Ele nos visitava frequentemente.» (frequência)
«Sim, ele nos visitou ontem.» (afirmação)
«Paula mora no campo.» (de lugar)
«Sem persistência, não há aprendizado.» (condição)
«Por cem mil reais, ele vende aquela casa!» (preço)
«Amanhã à noite iremos ao cinema.» (tempo)
«Não quero renovar a assinatura do jornal.» (negação)
«Há dez anos não o vejo.» (tempo e negação)
«As pessoas pensam que nunca o amor acaba.» (negação)
«O elefante vive cem anos.» (de tempo)
«Ele mora em Campinas.» (de lugar)

Exemplos de orações que têm a função de adjuntos adverbiais (grifados):

«Quanto mais estudo, mais sei que nada sei.» (adverbial proporcional)
«Não fui à aula porque estava resfriada.» (adverbial causal)
«Ele mente mais que o homem da cobra.» (adverbial comparativa)
«A mãe se cansa para que os filhos descansem.» (adverbial final)
«Quando o inverno chegar, iremos ao festival.» (adverbial temporal)
«Andou tanto, que não aguentava subir as escadas.» (adverbial consecutiva)
«Se ele vier, não ficarei aqui.» (adverbial condicional)
«Embora você não me diga, descobrirei onde vive.» (adverbial concessiva)
«Os meninos fizeram o desenho, conforme o professor pediu.» (adverbial conformativa)

Gostou? compartilhe!

Sobre o artigo

Este conteúdo foi originalmente criado por Gloria Galli, nome de usuário Gedini, em 2013-05-17 e está disponível com a licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Brasil. Outros autores também podem colaborar com este artigo.

Você poderá referenciar este artigo com o uso do link abaixo e incluir nota com o nome do autor:

Salvar e enviar para meu e-mail
Votar (1 estrela)
Votar (2 estrelas)
Votar (3 estrelas)

Enviar Você será enviado para criar um 'login' com seu e-mail.