LPeU - língua portuguesa em uso Língua Portuguesa em Uso

Criado por Gedini
em 2013-05-05.

Aumentativos e diminutivos

Primeiramente, recordemos a questão dos substantivos.

Substantivos

Os substantivos dão nome às substâncias ou a objetos apreendidos como substâncias (qualidades, estado, processos. Dividem-se em várias categorias, vistas em pares, com exceção dos 'coletivos': concretos e abstratos, comuns e próprios, simples e compostos, primitivos e derivados, coletivos.

Os graus do substantivo

Tanto o aumentativo (tamanho maior do que o normal) quanto o diminutivo (tamanho menor do que o normal) têm duas formas para a representação de grau: grau sintético e grau analítico.

Grau analítico

Quando se usa adjetivos para expressar o aumentativo ou o diminutivo: grande, enorme, pequeno, minúsculo etc. Exemplos:

casa grande, casa enorme, boca enorme, janela pequena,  
olhos minúsculos etc.

Grau sintético

Quando se usa terminações (sufixos) para expressar o aumentativo ou o diminutivo: -ão, -zão, -arra, -ona, -inho, -ito, -eta etc. O grau sintético, tanto na forma aumentativa quanto na diminutiva, pode ser feito de duas maneiras:

  • regular:
    (com sufixos comuns: -ão e -zão (para o aumentativo);
    e -inho e -zinho (para o diminutivo)

  • irregular (quando toma outros sufixos) para as duas formas.

Alguns aumentativos regulares:

  • amigo - amigão
  • atlas - atlasão
  • fita - fitão
  • funil - funilzão
  • lápis - lapisão
  • lobo - lobão
  • menino - meninão
  • pé - pezão
  • pires - piresão

Alguns aumentativos sintéticos irregulares (construídos com outros sufixos):

  • animal - animalejo
  • ave - avejão
  • bala - balaço
  • barca - barcaça
  • bébado - bebarro
  • beiço - beiçola
  • bicho - bichão/ bicharrão
  • boca - bocarra
  • cabeça - cabeçorra
  • calor - canícula
  • cão - canzarrão
  • cara - caraça, carantonha
  • casa - casarão
  • colher - colheraça
  • copo - copázio
  • coração - coraçaço
  • corpo - corpanzil, corpaço
  • cruz - cruzeiro
  • dente - dentola, dentuça, dentão
  • drama - dramalhão
  • escada - escadaria
  • fedor - fedentilha
  • festa - festança
  • flor - florona/ florzona
  • fogo - fogaréu
  • forno - fornalha
  • forte - fortaleza
  • gato - gatarrão
  • grande - grandalhão
  • homem - homenzarrão
  • ladrão - ladravaz
  • lima - limatão
  • limão - limonaço
  • língua - lingueirão
  • mamão - mamonaço
  • mão - manzarrona, manápula/manzorra
  • monte - montanha
  • mulher - mulheraça, mulherona
  • muro - muralha
  • nariz - narigão
  • navio - naviarra
  • olhos - olheirões
  • ouro - ourama
  • perna - pernalta
  • poeta - poetrasto
  • poeira - poeirama
  • povo - povaréu
  • prato - pratarraz
  • rapaz - rapagão
  • rato - ratazana
  • rico - ricaço
  • sapo - saparrão
  • unha - unhaço
  • voz - vozeirão

Alguns diminutivos regulares -inho e -zinho:

  • abelha - abelhinha
  • álbum - albunzinho
  • arte - artezinha
  • atividade - atividadezinha
  • aula - aulinha
  • boné - bonezinho
  • bota - botinha
  • cadáver - cadaverzinho
  • caneca - canequinha
  • casa - casinha
  • ção - cãozinho, cãozito
  • começo - comecinho
  • colher - colherinha, colherzinha
  • coelho - coelhinho
  • coqueiro - coqueirinho
  • filho - filhinho
  • índio - indiozinho
  • lápis - lapisinho
  • livro - livrinho, livrozinho
  • lobo - lobinho
  • mamão - mamãozinho
  • pé - pezinho
  • praça - pracinha
  • preço - precinho
  • pudum - pudinzinho
  • raio - raiozinho
  • rádio - radiozinho
  • rapaz - rapazinho
  • roça - rocinha
  • serviço - servicinho
  • tênis - tenisinho
  • urubu - urubuzinho
  • vaso - vasinho
  • xícara - xicarazinha, xicarinha, xicarazita

Alguns diminutivos irregulares (construídos com outros sufixos):

  • abelha - abelhita, abelhazinha, abelhinha
  • aldeia - aldeola
  • árvore - arbusto
  • astro - asteroide
  • ave - avícula
  • barba - barbicha
  • beijo - beijote/ beijoca
  • barba - barbicha
  • casa - casebre
  • caixa - caixote
  • caminhão - camioneta, caminhonete
  • chuva - chuvisco
  • corda - cordel
  • corpo - corpanzil
  • cruz - cruzeta
  • diabo - diabrete
  • espada - espadim
  • estátua - estatueta
  • fazenda - fazendola
  • farol - farolete
  • fio - filete
  • frango - frangote
  • galo - galispo
  • globo - glóbulo
  • gordo - gorducho
  • gota - gotícula
  • guerra - guerrilha
  • ilha - ilhéu, ilhota
  • homem - homúnculo
  • jornal - jornaleco
  • laje - lajota
  • livro - livreto, livreco
  • lugar - lugarejo
  • menina - meninota
  • monte - montículo
  • namoro - namorico
  • núcleo - nucléolo
  • padre - padreco
  • palácio - palacete
  • papel - papelucho
  • parte - partícula
  • perdiz - perdigoto
  • ponte - pontilhão
  • porta - portinhola
  • raiz - radícula
  • rapaz - rapazola, rapazote, rapazelho
  • rio - ribeiro, riacho
  • rua - ruela
  • saco - saquitel, saquinho
  • sala - saleta
  • sapato - sapataço
  • vara - vareta, varela
  • velho - velhote
  • verão - veranico
  • vila - vilela, vileta, vilola, vilarejo

Mudança de consoante para formar o diminutivo

Para formar o diminutivo dos substantivos terminados com as sílabas ca e co, troca-se a consoante /c/ para /q/ (por questões fonéticas). (Aplica-se também às palavras carioca, maluco, minhoca etc.):

barco - barquinho // casca - casquinha // cisco - cisquinho etc.

Mais exemplos (normal diminutivo aumentativo):

  • asa - asinha - asona
  • casca - casquinha - cascona
  • cão - cãozinho - canzarrão
  • coleta - coleguinha - colegão
  • cova - covinha - covona (preferível cova grande)
  • criança - criancinha - criançona
  • fogo - foguinho - fogaréu
  • monte - montículo - montanha
  • muro - mureta - muralha
  • prego - preguinho - pregão (preferível prego grande)
  • ovo - ovinho - ovão (ovo grande)
  • rocha - rochinha - rochedo
  • tábua - tabuinha/ tabuazinha - tabuona
  • tesoura - tesourinha - tesourão

Uso da forma analítica

Existem substantivos que não possuem a forma sintética para o grau aumentativo, e existem outros, que embora a possuam, prefere-se o uso da analítica para evitar cacofonia ou melhor entonação:

  • abade - abade enorme
  • alegria - alegria imensa
  • costas - costas grandes
  • ganso - ganso muito grande/ enorme/ gigante
  • mato - mato extenso
  • olheiras - olheiras enormes
  • vale - vale grande

Para algumas palavras, prefira a forma analítica:

ponte  -  ponte grande, enorme, imensa   
porta - porta enorme, porta grande etc.
Participar neste artigo Utilize este botão para adicionar seus comentários. Depois de adicionar seu comentário, você será direcionado para criar um login para validar seu comentário.

Este conteúdo foi originalmente criado por Gloria Galli, nome de usuário Gedini, em 2013-05-05 e está disponível com a licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Brasil. Outros autores também podem colaborar com este artigo.

Você poderá referenciar este artigo com o uso do link abaixo e incluir nota com o nome do autor:

Salvar e enviar para meu e-mail
Votar (1 estrela)
Votar (2 estrelas)
Votar (3 estrelas)

Enviar Você será enviado para criar um 'login' com seu e-mail.