Língua Portuguesa em Uso > Modos, tempos e outras categorias verbais

Modos, tempos e outras categorias verbais

Gloria Galli


Categorias: modos verbais | tempos verbais | aspecto verbal |

Todo enunciado revela uma situação informacional. Os verbos são palavras que agregam categorias. Isso significa que eles agregam sinais que indicam: categorias de significado, de pessoa, de tempo, de modo, de número e até outras. Por exemplo:
«Falei duas vezes com você!»

O termo ‘falei’ representa uma ação expressa pelo radical ‘fal-‘, comunicação por voz; a desinência ‘-ei’ indica que a pessoa é ‘eu’; indica que é singular; que o tempo é o ‘passado’; que é uma afirmação, representa um processo com atividade, terminado, acabado. Essa é a principal função dos verbos: agregar outros elementos que representam categorias incluídas no enunciado.

De um modo geral, o quadro verbal se organiza em torno de categorias de modo, tempo e aspecto verbais. O modo verbal representa a atitude do sujeito gramatical (eu/tu/ele e plurais) em relação ao processo verbal.

Modos verbais
A gramática tradicional estabelece três modos:

Nesse modo predominam juízos assertivos, relaciona-se com certeza, pois como o nome diz, indica fatos: «Eu leio revistas. Ele foi à escola. Nós viajaremos em outubro. Eu queria ser modelo.»

Predominam juízos duvidosos, relaciona-se com pedidos, possibilidade etc.:
«Se eu pudesse.../ Que ela tenha sucesso .../ Quando ele voltar.»

Predominam modalidades da ordem do dever, da imposição, optativa e também de pedido:
«Corte isso! Vá com Deus! Ajuda-me!»

Modos verbais e os seus tempos
Tanto no modo indicativo quanto no subjuntivo, há os tempos verbais. São formas que situam os fatos em diferentes intervalos de tempo, seja presente, passado ou futuro; o modo imperativo não tem relação com o tempo.

Aspecto
A categoria de aspecto, pouco estudada pela gramática tradicional, refere-se à duração do processo verbal, e ao contrário do tempo e do modo, o aspecto nada tem a ver com o enunciador. Porém, de um modo geral, podemos afirmar que:

Presente
Corresponde ao momento atual, mas a um processo não concluído: eu canto.

Pretérito imperfeito
Apresenta certas irregularidades: pode representar uma situação no passado: duradoura, corriqueira, também não concluído: «eu fazia, eu trabalhava...» etc. , mas pode também ser usado como expressão polida, cortês: «queria ver aquele vestido..., poderia me informar se...» etc.

Pretérito perfeito
Representa uma ação terminada: «eu cantei, eu fiz a tarefa / publiquei o artigo..». etc.

Pretérito mais que perfeito
Tempo muito usado em literatura. Representa um processo remoto, também terminado: «eu cantara.»

Futuro do presente
Expressa uma afirmação futura: «eu cantarei.»

Futuro do pretérito
Expressa uma suposta afirmação futura: «eu cantaria...»

Imperativo
presente (afirmativo/negativo)

Voz
A voz representa o papel do sujeito gramatical:
- se é ativa, o sujeito gramatical é o agente: «Pedro queimou o livro.»
- se é passiva, o sujeito é paciente: «Os livros foram queimados.» Podendo também exercer ambos os papéis: «Pedro feriu-se.»

As pessoas
Quando uso os termos escrevo / escreves / escreve, estou fazendo referência à categoria de pessoa: eu/ tu/ ele(ela).

Número
No entanto, se digo: escreve / escrevem, refiro-me à categoria de número: singular e plural.
Assim, os verbos ao serem conjugados englobam as categorias de pessoa, de número, de tempo e modo:
1ª pessoa do singular: eu escrevo
2ª pessoa do singular: tu escreves
3ª pessoa do singular: ele/ela escreve

1ª pessoa do plural: nós escrevemos
2ª pessoa do plural: vós escreveis
3ª pessoa do plural: eles/elas escrevem

Comentários

revisados

Gedini
2013-08-05
Quiasmo

Participe

Faça login para receber nossa newsletter ou enviar dúvidas